SOBRE

QUEM É

A NATI

Oi! Eu sou a Nati Bittencourt. Tenho 29 anos, sou moradora do Rio Vermelho, no norte da Ilha e candidata a vereadora em Florianópolis pelo PSOL!

 

Sou Produtora Cultural, Ativista pelos Direitos Humanos e dos Animais, feminista e antifascista.

 

Hoje entendo que a falta de políticas públicas em Florianópolis é grave. Atinge diretamente a causa que eu atuo, o bairro que eu moro e tudo o que é essencial para viver.


Para mim, o governo deve atuar para e com o povo, não vejo como construir o bem estar social sem a participação popular. Meu objetivo é ser uma das pontes de diálogo entre o poder público, a população e os animais.

Quero ao lado do povo e das comunidades construir uma cidade mais justa.

A mudança é urgente!

PROTEÇÃO
ANIMAL

Na minha trajetória como ativista pelos direitos dos animais, luto principalmente pelo fim da farra do boi, proibição da criação e venda de animais domésticos, fim do tráfico de animais silvestres, pela construção de um hospital veterinário público, suporte para as protetoras e ONGs e por mais fiscalização e aplicação de multas para abandono e maus tratos.

Desde que me mudei para a cidade, em 2014, comecei a resgatar animais abandonados, um problema muito comum no bairro do Rio Vermelho. Foi dessa forma que comecei meu envolvimento com a causa animal, me juntando à ONG Instituto É o Bicho como voluntária.

Em 6 anos resgatei e cuidei de centenas de animais. Quase todos foram doados vacinados e castrados.

Sou protetora de animais e sei o quanto é difícil fechar a conta no fim do mês com tantos gastos. Temos que fazer rifa, vaquinha, brechó. Nos enchemos de dívidas a cada novo resgate. E o poder público mal ajuda com a CASTRAÇÃO.

Tudo nós pagamos. Vermífugo, vacina, remédios, internação, tratamentos, ração....

Isso tem que mudar!

Minha luta é por mais Políticas Públicas para os animais em Florianópolis. TODOS os animais!

O Rio Vermelho, infelizmente, é um dos bairros que tem maior ocorrência de Farra do Boi de toda Florianópolis.Em 2018, ao lado de outros ativistas, participei dos resgates de bois usados na Farra do Boi na cidade. Apesar da nossa luta, os animais acabaram sendo abatidos pela CIDASC depois de 10 meses. Uma das maiores tristezas que vivi.

 

Mas a luta pelo fim da farra do boi não pode parar.

É uma vergonha para nossa cidade!

RIO VERMELHO

Rio Vermelho: O lugar que escolhi como lar!

 

Quando iniciei minha conexão com a comunidade passei a perceber e entender os problemas de administração pública que atingem o Rio Vermelho e de um modo geral, o Norte da Ilha.

É um bairro que cresce a cada mês. Mais moradores, mais casas, mais comércios; mas para os órgãos públicos paramos no tempo

-----

Em 2015, durante 8 meses, me juntei ao Grupo Gestor da Casa de Cultura do Rio Vermelho, movimento iniciado pelos moradores para revitalização de um antigo posto policial do bairro, a Casinha! O local cumpre uma função social de reunir moradores e artistas para celebrarem juntos a arte, solidariedade e união.


Foi então que comecei a me aprofundar ainda mais nas questões de políticas públicas do bairro e a participar ativamente de ações

Vendo a situação de descaso com o Rio Vermelho, abandonado pelos órgãos públicos, criei uma chapa para concorrer às eleições da AMORV (Associação de Moradores do Rio Vermelho) em 2019. A eleição bateu recordes de adesão da comunidade e ficamos muito perto de romper a hegemonia da atual gestão. Fomos derrotados pela chapa rival que, em um ato de desespero e temendo a força da nossa chapa, foi buscar eleitores na porta das casas. Tivemos 292 votos limpos e conscientes.


No início de 2020 entrei para o Conselho do Parque Estadual do Rio Vermelho, como suplente da UFECO (União Florianopolitana de Entidades Comunitárias) e fui co-fundadora do Bloco de Carnaval Farra de Boa, que saiu pelo bairro no dia 23 de fevereiro, poucos dias antes da pandemia chegar à cidade e teve grande apoio da comunidade.

2010 - present

2010 - present